Vídeo de divulgação da coleção

Assista o vídeo de divulgação da nova coleção de livros de QUÍMICA publicada pela Editora Moderna.

A seguir os links para acesso para três capítulos completos da coleção:

Vol 1, Cap. 2: O mundo microscópico da matéria
http://pt.calameo.com/read/0028993272…

Vol 2, Cap. 3: Cinética Química
http://pt.calameo.com/read/0028993279…

Vol 3, Cap. 2: Estudo das funções orgânicas e os casos de isomerias planas e espaciais
http://pt.calameo.com/read/002899327b…

Gostou? Sim? Então entre em contato para saber como você, professor(a), pode adotar esta coleção em sua escola!

livro.quimica.moderna@gmail.com
moderna@moderna.com.br
0800 17 2002

Deixe seu comentário...

Diluição e medicamentos: a homeopatia

texto_homeopatia

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Esse teCAPA CISCATO_V2 LA_G - menorxto complementar faz parte da coleção QUÍMICA da Editora Moderna dos autores CISCATO, PEREIRA e CHEMELLO, Volume 2, p. 98 a 100.

Caso você seja professor de escola privada e queira saber mais sobre a obra, entre em contato com a Editora Moderna.

 

0800 17 2002 | moderna@moderna.com.br

 

 

Capítulos na íntegra para acesso on-line
Vol 1, Cap. 2: O mundo microscópico da matéria
Vol 2, Cap. 3: Cinética Química
Vol 3, Cap. 2: Estudo das funções orgânicas e os casos de isomerias planas e espaciais

 

Deixe seu comentário...

Acidente de Chernobyl: 30 anos

chernobyl

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Na madrugada do dia 26 Abril de 1986, operadores estavam testando o reator quatro da estação nuclear de Chernobyl, Ucrânia, na época pertencente a URSS. Desejava-se realizar testes associados a uma das maiores e mais recentes conquistas do regime comunista. Porém, uma série de eventos resultaram no maior acidente nuclear da história.

Para saber mais sobre o acidente, leia o artigo a seguir:

http://www.quimica.net/emiliano/artigos/2010outubro-chernobyl.pdf 

 

Deixe seu comentário...

Acidente com ônibus espacial Challenger completa 30 anos

explosao_challenger

O ônibus espacial Challenger explodiu após apenas 73 segundos de seu lançamento, em 28 de janeiro de 1986. Os sete astronautas que faziam parte da tripulação morreram diante de milhares de pessoas que acompanharam sua decolagem pelo Centro Espacial Kennedy, na Flórida.

Saiba mais detalhes sobre o acidente lendo um artigo sobre o tema ↓

 http://www.quimica.net/emiliano/artigos/2010novembro-challenger.pdf

Saiba mais detalhes de outros acidentes históricos em:

 

 Símbolos de perigo e seus significados [pdf]

 Césio 137:  A tragédia radioativa do Brasil [pdf]

 Desastre em Bhopal [pdf]

 Chernobyl: a luta contra um inimigo ‘invisível’ [pdf]

 A explosão do ônibus espacial Challenger [pdf]

Deixe seu comentário...

É possível pegar gordura da lipoaspiração e fazer sabão?

Reprodução da reportagem publicada originalmente no portal UOL Notícias, na seção “Ciência e Saúde”.
http://noticias.uol.com.br/ciencia/ultimas-noticias/redacao/2016/01/13/da-para-fazer-sabao-com-gordura-do-corpo-humano.htm


 

É possível pegar gordura da lipoaspiração e fazer sabão?

Bia Souza e Mirthyani Bezerra

Do UOL, em São Paulo

Uma jovem chinesa publicou em uma rede social que para se vingar do ex-namorado preparou barras de sabão com a própria gordura e enviou a ele de presente de Ano-Novo. A mulher afirmou ter usado a gordura descartada da lipoaspiração a qual se submeteu depois de ser abandonada por estar acima do peso.

Polêmicas conjugais à parte, o sabão é obtido pela mistura de gordura, geralmente, bovina que reage com soda cáustica, ou hidróxido de sódio. Mas seria possível fazer sabão com gordura humana? Segundo o professor e autor de livros didáticos de química Emiliano Chemello, sim. “Comparativamente, a gordura bovina, utilizada como matéria-prima para produção do sabão artesanal contém uma porcentagem de ácido oleico, um tipo de ácido graxo presente em vários tipos de gordura, muito próxima à da gordura humana. Em tese seria possível produzir não apenas sabão, mas biodiesel com esses resíduos.”

CEN/Reprodução Rede TV

Ela queria se vingar do ex-namorado que terminou o relacionamento alegando que a menina estava acima do peso

O professor também explica que seria seguro usar o produto pois toda essa gordura transforma-se em outras substâncias (sabão e a glicerina) que são quimicamente semelhantes àquelas presentes em sabões produzidos a partir de outras fontes de gordura. “Provavelmente qualquer microrganismo morreria com o pH altamente básico (devido ao uso de soda cáustica) e à fervura. Assim, teríamos um produto muito parecido com o sabão tradicional”, diz Chemello.

Se quimicamente o sabão é possível, na prática ele não seria tão viável. Segundo o cirurgião plástico e membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica Rodrigo Rosique, o contato de um material orgânico com outro poderia causar alergias.

Além disso, ele afirma que o caso da jovem chinesa nunca aconteceria no Brasil. “Na China, a vigilância sanitária é menos rigorosa. Aqui, as regras são claras: o hospital tem a responsabilidade de descartar todo material orgânico proveniente de processos cirúrgicos, o que inclui a gordura (resultante de procedimentos estéticos)”, afirma.

De acordo com a norma 307 da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), resíduos de tecido adiposo proveniente de lipoaspiração, lipoescultura ou outro procedimento de cirurgia plástica podem ser dispostos, sem tratamento prévio, em local devidamente licenciado para descarte. É de responsabilidade dos estabelecimentos realizar o descarte correto.

O descarte é feito de maneira separada. “O lixo de materiais recicláveis é separado dos objetos perfuro-cortantes. No caso do lixo orgânico, quem faz o descarte é uma empresa específica, contratada pelo hospital”, acrescenta Rosique.

O lixo orgânico (o que inclui a gordura da lipoaspiração) só não é descartado se for necessária a análise do material. “Há exames que usam esse material para descobrir a presença de bactérias no organismos, infecções e até câncer. Claro, que isso é solicitado se há suspeita do médico. Mas, esse material nunca é entregue ao paciente”, afirma.

Deixe seu comentário...

1 2